Contos de zoofilia; Meu jegue, meu amor

Oi, meu nome eh Angelica, tenho 20 anos, sou loura, claro, os zoios verdes que, apesar de meio vesguinhos, sao um xarme, tenho um bumbum empinadinho, eh meus peitos sao um xou. Tenho 1:65m e sou magrinha. Sei que muita gente nao concorda com esse tipo de coisa, nem eu, ateh que meu pai comprou um jegue. Nunca vi isso na vida, mas foi amor a primeira vista. Que era aquilo, meu Deus? O diabo do gegue chegava na cerca perto do curral do citio do meu pai e kuando me via, o bicho comecava a zoar que nem doido. No inicio, eu nao precebi que era pur minha cauza, mas despois sakei que ele ficava doido kuando mi via. Aih, eu xeguei perto e fikei de cara kuando o bixu boto pra fora uma vara de dar medo. Vcs nao imaginam a vontade de passar a mao no pau do jegue ai meu deus! Como nao tinha ninguem por perto, estava todo mundo ajudando a esvaziar o tanque dos peiches, eu pacei por debaixo da cerca e me abaixei perto do animal. Sem pensar duas vezes, passei a lingua na cabeca do cassete do jegue. Nao vou dizer que o gosto era bom, mas o bicho comesou a se mexer pra lah e pra cah, doidinho. Entao, abrindo minha boca, xupei o caralho dele e o bixo dava uns coices para traz e abaixava a cabeca sem parar. Nao sei o que me deu, levantei minha saia e afastei a calsinha, tentando passar a xana no pau do bicho, mas estava dificiu a pozicao. Eu ficava levantando o corpo pra cima e puxando o pau dele pra esfregar na minha xotinha que jah estava molhadinha e comecei a esfregar, tentando fazer o pau entrar nela. Mas dava dor nas costas e eu entao virei o rabo pra cima e comecei a exfregar no meu cu. O diabo nao parava de urrar auto e eu tive que parar porque os pessoal tava quase voltando. Nao deu pra dah meu cu ou minha xana, sei la pro jegue. So sei que tô de amor com o jumento mais fofo que jah vi na vida.

Fonte; Casa dos Contos.