Contos de Zoofilia; Minha primeira transa com um cão

Me chamo Lili. A história que eu vou contar agora é muito estranha, embora seja muito estranha ela realmente aconteceu, porque eu não seria e nem teria capacidade de inventar uma história dessa porque ela é muito estranha e muito criativa pra ser uma mentira… mas cabe a você julgar se é ou não, o que importa é que aconteceu comigo. Certo dia, eu tive uma discussão feia com uma pessoa muito próxima a mim (não posso dizer com quem, nem como, nem quando, e nem onde, pois se dissesse essa pessoa logo descobriria e eu não quero isso) e cheguei em casa muito nervosa mais tão nervosa que tomei três comprimidos de calmantes para me controlar. Nessa ocasião eu morava só numa casa alugada, mas tinha um cão doberman super manso chamado Fox. Ele é quem me fazia a guarda da casa e a minha também. Mas como eu falei, nesse dia cheguei muito nervosa e com muita dificuldade abrir a porta da casa, entrei e fechei. Estava tão abalada que não percebi que o meu cão não estava ali para me receber como faz toda a noite. Então tirei toda minha roupa e fui pro chuveiro, tomei um banho demorado e percebi que já estava ficando tonta por causa do remédio em excesso que tinha tomado. Peguei minha toalha, me enxuguei, e fui direto para minha cama. Quando me deito começa a vim fortes dores no abdome, (acho eu, que era em decorrência do nervosismo), então eu rolo pro lado, rolo pro outro e nada da dor passar. Impaciente eu saí da cama e fui tomar um analgésico, embora eu soubesse que já tinha tomado vários calmantes e que tomando o analgésico poderia me causar um dano maior, eu estava disposta a enfrentar isso, só pra me livrar daquela dor. Pra garantir um efeito imediato eu tomei dois comprimidos e fui direto pra cama, mas a dor ainda estava me atrapalhando o sono, e novamente começo a rolar na cama, e com o rolar na cama me veio um calor enorme e eu tive que tirar toda a minha roupa pois não conseguiria dormir com aquele calor. Depois de um certo tempo eu tenho a idéia de ficar de bruço e colocar no meu ventre um grande travesseiro. E não é que a dor começou a passar!!!! Fiquei de barriga virada pra cama, com um travesseiro embaixo de mim e de bunda empinada pro ar já que o travesseiro era grande. Então rapidamente comecei a dormir. Dormir um sono tranqüilo… mas depois de um certo tempo eu me acordo sentindo que tinha algo sentado sobre a minha bunda e uma coisa me encomodando meu reto. Quando eu olho pra trás pra ver o que é vejo que é o Fox, meu dog, sentado em cima da minha bunda (bunda com bunda). Logo não acreditei pois ainda estava sob o efeito das drogas que tomei pra dormir. Olhei novamente e vi que realmente era ele, e que estava com a respiração muito ofegante. Aquela posição com o travesseiro embaixo de mim estava tão boa que não queria sair dela, então olhando pra trás ordenei que ele saísse: – Sai fox, sai de cima de mim. E ele não respondeu a minha ordem e gritei novamente: – sai daqui Fox. Foi quando ele tentou sair e não conseguiu e então percebi que ele estava preso comigo engatada no meu ânus… Muito espantada gritei: – O que é que isso!!!!! Pois nunca tinha passado na minha cabeça em transar com um cão, especialmente que eu era virgem no ânus e nunca deixei que alguém o penetrasse muito menos um cão e também não imaginei que ele poderia estar cruzando comigo naquela situação e naquela posição. Foi o que aconteceu, ele se aproveitando do meu estado de drogada veio no meio da noite, me viu de bunda pra cima e me penetrou e eu por está sedada não senti nada. Ele espantado com meu grito tentou sair, foi ai que eu senti uma dor enorme no ânus, mas ele queria sair e começou a me arrastar pelo ânus. Então fui sendo arrastada presa com ele até a sala. Primeiro ele me arrastou da cama, e depois pela casa inteira. Não sei como consegui andar de quatro com ele pois ainda estava muito drogada. Quando chegou na sala ele parou e ficamos bunda com bunda, e nervosa por aquela situação comecei a chorar. Percebi que ele tentava saí e não conseguia, pois ele forçava pra frente e não tinha êxito e recuava, não sei como mais ele virava a cabeça pro lado até chegar ao ponto onde seu pênis e meu ânus estavam grudados e os lambiam como se tivesse massageando-os. Nessa altura comecei a sentir uns arrepios e um enorme calor me tomava conta do corpo. Senti seu esperma bater no meu reto e cada vez que batia eu sentia um ardor gostoso que me foi dando um tesão fora do comum. Derrepente sinto um líquido escorrer na minha coxa, e quando eu passo a mão percebo que é seu esperma que escorria do meu ânus pra minha coxa… nossa!!!! Que sensação foi me dando. Fui me acalmando e fui curtido cada esperma que ele me dava. Depois de um certo tempo eu percebo que seu pênis começa a ficar menor e a sair de mim… – Puxa que alívio, pensei. Então ele sai; e quando ele saiu eu fiquei impressionada com a quantidade de esperma que saiu do meu ânus. Depois que ele saiu, comecei a pensar naquela situação. No começo fiquei com um enorme medo e com complexo de culpa, mas foi ai que Fox voltou e como um obediente cão começou a lamber meu ânus e tirar o excesso de esperma que ainda escorria pelo meu ânus. Ai então pensei: – Já que ele me comeu e tirou a virgindade do meu rabo e não tem como voltar atrás… (foi ai que com suas lambidas o tesão começou a subir e a influenciar os meus pensamentos) vou é aproveitar… Me virei da posição que estava (de quatro) deitei no chão e ofereci minha buceta pra ele lamber. Ele percebeu minha intenção e começou a lamber. Não sei se era por efeito da droga que tomei mas a cada lambida que ele dava eu ia ao delírio, gemia muito alto e forte. Ele percebeu que minha buceta estava soltando muitos líqüidos e começou a lamber bem fundo da minha vulva e a ficar muito agitado, a agitação era tanta que parecia que ele queria enfiar todo seu focinho na minha vagina. O tesão das suas lambidas era tão forte que eu já estava quase desmaiando, fora os gritos e os gemidos altos que eu dava. Então percebi que estava realmente quase desmaiando de tesão e decidir ficar de quatro pra ele comer minha buceta antes de eu desmaiar. E com o resto de força que ainda me restava fiquei de quatro, então com extrema pressa (parecia que ele sabia que eu não iria agüentar por muito tempo aquele tesão) ele montou em cima de mim, puxou meu quadril pra trás e começou e me penetrar com extrema pressa. Quando eu senti que a ponta do seu pênis tinha achado a beirada da minha vagina meu deu um arrepio, uma tremedeira e uma febre muito louca. Então ele percebeu que tinha achado minha vagina e começou a me penetrar rapidamente… e comecei a gritar feito louca… sentia cada centímetro do seu pênis me abrindo… e a cada estocada que ele dava era uma gozada que eu dava. Aquilo era demais…então ele me puxou com força e me deu uma grande estocada… Quando ele me puxou percebi sua bola inchando dentro de mim e senti toda sua ejaculação preencher meu útero. Então ele deu uma estocada mais forte ainda… foi ai que não resistir e desmaiei de tanto tesão… Só acordei no outro dia deitada no chão da sala, toda mijada, (não sei como mais me mijei toda) foi ai que eu olhei pra o lado e vi o Fox olhando pra mim com cara de alegre. Então me dei conta do que tinha se passado comigo e com o fox. Com dificuldades e com as pernas ainda tremendo me levantei e fui tomar um banho e fiquei revivendo aquelas cenas que se passaram comigo e com o Fox, o meu novo garanhão. Daí então comecei a transar com ele quase todas as noites, e olha…. ele é incrível. Pra você que nunca transou com um cão e nunca pensou nisso lhe digo: – Esqueça todo seu nojo e preconceito e tente, é o melhor tesão que tive…

Fonte; Casa dos Contos.